TELÔMEROS, MODO DE VIDA E ENVELHECIMENTO

TELÔMEROS, MODO DE VIDA E ENVELHECIMENTO

 

Um estudo(1), publicado na Science Daily, 16 de setembro de 2013 e a publicar na versão online da Revista The Lancet Oncology, conduzido por cientistas da Universidade da Califórnia, San Francisco e do Instituto de Pesquisa de Medicina Preventiva, um instituto público de pesquisa sem fins lucrativos em Sausalito, Califórnia, que investiga o efeito da dieta e estilo de vida na saúde e na doença, mostra,  pela primeira vez, que as alterações na dieta, exercício, gestão do stress e apoio social podem resultar em telômeros mais longos.

Os telômeros, as partes dos cromossomas que afetam o envelhecimento, são as capas protetoras nas extremidades dos cromossomos que afetam a rapidez com que as células envelhecem . Eles são combinações de DNA e proteínas que protegem as extremidades dos cromossomas e os ajudam a manterem-se estáveis. À medida que se tornam mais curtos e, como a sua integridade estrutural enfraquece , as células envelhecem e morrem mais rapidamente.

É o primeiro estudo controlado para mostrar que qualquer intervenção pode alongar os telômeros ao longo do tempo .

Nos últimos anos, os telômeros mais curtos têm -se associado com uma ampla gama de doenças relacionadas com o envelhecimento, incluindo várias formas de cancro, acidente vascular cerebral a demência vascular, doença cardiovascular, obesidade, diabetes e osteoporose.

"Os nossos genes e os nossos telômeros, não são, necessariamente, o nosso destino ", disse o autor Dean Ornish , MD, UCSF professor de medicina clínica, e fundador e presidente do Instituto de Pesquisa de Medicina Preventiva . " Muitas vezes as pessoas pensam " Oh , eu tenho genes maus , não há nada que eu possa fazer sobre isso ", disse Ornish . " Mas estes resultados indicam que os telômeros podem alongar na medida em que as pessoas mudam o seu modo de vida . A investigação, até à data, indica que telômeros mais longos estão associados com menos doenças e vida mais longa. "

Durante cinco anos, os investigadores acompanharam 35 homens com cancro de próstata em estádio inicial, para explorarem a relação entre as mudanças de estilo de vida abrangente e o comprimento dos telômeros e a atividade da telomerase. Todos os homens estavam em vigilância ativa, que envolve o monitoramento de perto da condição do paciente por meio de triagem e biópsias .

Dez dos pacientes efetuaram mudanças de estilo de vida que incluíam: uma dieta baseada em vegetais ( rica em frutas , vegetais e grãos não refinados, e pobre em gordura e hidratos de carbono refinados); exercício moderado ( caminhar 30 minutos por dia, seis dias por semana ); redução do stress ( suave à base de yoga alongamento, respiração, meditação ). Também participaram dum grupo grupo de apoio semanal.

Eles foram comparados com os outros 25 participantes do estudo que não foram convidados para fazer grandes mudanças de estilo de vida .

O grupo que fez as mudanças de estilo de vida teve um aumento "significativo" no comprimento dos telômeros de cerca de 10 por cento. Além disso, quanto mais as pessoas mudaram o seu comportamento , aderindo ao programa de estilo de vida recomendado, mais acentuadas foram as melhorias no comprimento dos seus telômeros.

Por outro lado, os homens do grupo de controlo que não foram solicitados a alterar seu estilo de vida, apresentavam telômeros mais curtos - quase 3 por cento mais curtos - quando o estudo de cinco anos terminou. De sublinhar que o comprimento dos telômeros geralmente diminui com o avançar da idade.

Os investigadores sublinham que os resultados podem não se limitar aos homens com cancro da próstata, sendo muito provável que tais conclusões sejam igualmente relevantes para a população em geral, porquanto, como sublinha Ornish, "Olhamos para os telômeros no sangue dos participantes, e não no seu tecido da próstata".

O co -autor do estudo, Peter R. Carroll , MD , MPH , professor e presidente do Departamento de Urologia da UCSF refere que "O encurtamento dos telômeros aumenta o risco de uma grande variedade de doenças crônicas. Acreditamos que o aumento no comprimento dos telômero pode ajudar a prevenir estas condições e talvez até aumentar a longevidade. "

NOSSA CONCLUSÃO: Mais uma vez se prova que hábitos saudáveis de vida (uma vida mais em consonância com a natureza) e uma alimentação adequada (para nós, geneticamente adequada), bem como a toma diária dos nutrientes essenciais ao organismo, continuam a ser as grandes "armas" para uma vida mais longa e saudável

(1) University of California, San Francisco (UCSF). "Lifestyle changes may lengthen telomeres, a measure of cell aging." ScienceDaily, 16 Sep. 2013

TELÔMEROS
Data do Artigo: 
Domingo, 22 Setembro, 2013
Produtos Relacionados
Sobre o autor

admin

Antonio Marcos, is a university teacher and writer on holistic health. He is founder, professor and president of Instituto Português de Naturologia and runs a group of clinics - Dr. Marcos Blood Diet Clinic - where is implemented his own holistic approach to Natural Medicine based on genetics and the healthiest diet that mimics the diet of our remote ancestors which print our DNA